Loading

Remisson Aniceto

remisson8@yahoo.com.br

Maria e Mario

Maria e Mario, Mario e Maria

nasceram na mesma hora, no mesmo dia,

e no mesmo ano vieram ao mundo.

Maria e Mario, Mario e Maria,

nutriam um pelo outro o amor mais profundo.


Maria e Mario viviam tão felizes na sua casinha...

Maria e Mario, Mario e Maria,

se amavam de dia, de tarde, à notinha.

À Maria bastava o Mario, ao Mario bastava a Maria.


Ele era tudo pra ela, ela pra ele era tudo:

o amor mais exato que existia.

Falavam somente com o olhar, mudos.

Casal mais perfeito jamais haveria.


Pra tristeza do Mario, adoeceu a Maria

no dia anterior em que ele faria aniversário.

O dia seguinte ele não comemoraria.

"Como se alegrar sem sua Maria? Nunca!", pensava o Mario.

Passou a noite à cabeceira da cama

acariciando a doce face de sua Maria.


Ele, com todo cuidado, a beija e chama:

"Amor, sabes? Se tu morresses, eu morreria."

Ela, febril e com os olhos vagos, murmurava:

"Deixa de seres bobo, amor, morta e sem ti, como eu viveria?"


E, segurando a mão dele, no seu sonho mergulhava.

Mario rezava, chorava e sofria.

Na manhã em que ambos fariam aniversário,

o dia chegou e num raio de sol levou a pobre Maria.


Quanta dor e amargura no peito do Mario

naquele dia que deveria ser de pura alegria...

Já faz um ano desde aquele triste dia,

um ano que a Maria não tem o Mario,

um ano que o Mario não tem a Maria,

um ano desde aquele último aniversário.


Lembram do que o Mario disse à Maria?

Lembram do que a Maria disse ao Mario?

"Amor, se tu morresses, eu morreria!"

Pois então? Hoje é de ambos o primeiro aniversário.