Loading

Remisson Aniceto

remisson8@yahoo.com.br

Dualismo

Debalde me procurei e me afastei tanto de mim mesmo,

Até me dar conta de que nunca estivera sozinho,

Que quando percebi e voltei, inutilmente andei a esmo:

Eu já me havia perdido pelos desvãos do extinto caminho.


Agora dividido, a minha vida sigo sempre assim,

Indagando se alguém sabe do meu paradeiro.

Ninguém me conhece; ninguém tem notícia de mim

E sem descansar, em vão me procuro o tempo inteiro.


Extraviadas por tão escuras e diversas estradas,

Sem saber que jamais poderão se encontrar,

Cada parte de mim se procura e se perde mais e mais.


E assim seguem as duas porções de um todo, apartadas,

Duas metades que nunca mais poderão se completar,

Eu sem mim, eu e eu, perdidos pelos caminhos abissais.